Chamada para submissão de resumos

África e o Humano: Questionamentos Antigos, Novos Imaginários.

ASAA2022. 4ª Conferência Bienal da Associação para Estudos Africanos de África
11–16 de Abril de 2022. Universidade de Cape Town, África do Sul

ASAA2022: Nota conceptual

O que significa ser humano hoje em África, Africano no mundo de hoje, e o que pode a África contribuir para pensar o humano? A ideia do humano é cada vez mais ameaçada pelas transformações desestabilizadoras à medida que o mundo se desloca gradualmente para o que alguns definem como o abismo da modernidade e os abismos do pós-moderno. Será que as ideias prevalecentes de ser humano e/ou ser africano sobreviverão? Deverá a ideia do humano e do africano ser salva, e à medida que avançamos para o antropoceno/pós-humano, o quê ou quem irá ou deverá contar como humano e/ou africano no final? À medida que as antigas certezas do iluminismo são questionadas e rejeitadas e as promessas da democracia neoliberal despedaçadas – rotuladas como fraudulentas e farsantes – que alternativas restam para imaginar o humano de África?

A elaboração e a representação de África oscilam entre as narrativas de promessa e humanismo e as de catástrofe e desespero. A continente é frequentemente referido como o berço do humano, e o local de fortes princípios humanistas, consagrados nas filosofias de comunidade, cuidado, convívio e interdependência várias vezes chamadas teranga, ujamaa, ubuntu e assim por diante. A representação do continente como o lugar da esperança e do futuro da humanidade persiste. No entanto, uma narrativa global do continente como um lugar de sofrimento, dor e abandono enquadra simultaneamente o continente e o seu povo como desumano, anti-humanista e instrumentalizante. O aumento das mortes no Mediterrâneo, o aumento do etno-nacionalismo, os conflitos civis e o crescimento das exigências secessionistas, a normalização da manipulação e contestação eleitorais, o enfraquecimento das instituições judiciais, as políticas xenófobas, o brutalismo estatal, a violência de género, os desinteresses naturais/saúde e o abandono social, a tensão económica, entre outros, são temas recorrentes nas conversações sobre o continente. As supostas promessas libertárias de novos desenvolvimentos científicos e tecnológicos, o crescimento de novas elites, o abraçar de novas parcerias (imperial/hegemónica) e noções renascentes de um continente sem fronteiras são ditas não terem conseguido emancipar, dignificar ou reabilitar o humano.

A questão do humano é urgente e essencial para enfrentar, especialmente neste momento de crises existenciais globais provocadas pela pandemia da Covid-19, o enfraquecimento paradoxal e a reorientação da ciência para enfrentar os desafios globais, o colapso das promessas do pós-modernismo e as suas garantias de igualdade, justiça social e o fim das histórias de violência, discriminação e pobreza. A tarefa de reflectir criticamente sobre a democratização do autoritarismo e chauvinismo e a crescente deslegitimação dos quadros de direitos é crucial para voltar a centrar as epistemologias africanas nas tentativas globais de reimaginar o futuro do ser humano. Seja nos campos da produção do conhecimento, feminismo, saúde pública, matemática, literatura, engenharia, história, bioquímica, estudos políticos, agricultura, estudos religiosos e antropologia, entre outros, a África tem actualmente a oportunidade de reproduzir o mundo e fornecer novos termos de referência e reconhecimento para o futuro da humanidade.

Se as histórias modernas de racismo e colonialismo expuseram as contradições no cerne das afirmações iluministas de uma natureza humana comum, a mais recente política identitária moderna – associada a afirmações violentas, por vezes genocidas, de diferença irredutível – também prejudicaram os esforços para estabelecer modos de vida pacíficos, dignos e de respeitoso mútuo. Ser humano não é uma questão óbvia, daí a necessidade de investigar as ambiguidades, tensões, e por vezes contradições directas que compõem o que o humano implica ou refere. Quais são os discursos e como se desenrolam na vida quotidiana? Que diferenciações são feitas e como as colocamos em particular nas histórias, culturas, economias políticas etc.?

A conferência terá como objectivo contribuir para o ressurgimento do interesse académico pelas questões que nós, humanos, partilhamos – mesmo reconhecendo as nossas profundas diferenças – como base para lidar com os contornos do nosso futuro colectivo. O ressurgimento de movimentos anti-capitalistas, descoloniais, anti-patriarcais, anti-racistas, pró-ciência, justiça ecológica e outras lutas pela justiça social questionaram a tríade problemática da justiça humana, da desestruturação humana e da dignidade humana. Que novas ideias pode a África trazer a estas questões e lutas, e que novos espaços podem ser criados para a produção de conhecimento?

Prevemos a conferência como um carnaval de ideias, um laboratório de conceitos e um espaço de experimentação ideológica sobre África e o ser humano. Os artigos seleccionados serão publicados na série “Encontros” da HUMA-ASAA. Co-organizado pelo HUMA – Instituto de Humanidades em África da Universidade da Cidade do Cabo, pretendemos criar um espaço interdisciplinar de conversas entre as disciplinas – ciências sociais e humanas (SSH) e ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM) – centrando-se na produção de novos conhecimentos sobre África e o ser humano. Académicos, activistas, artistas e responsáveis políticos de diferentes gerações, disciplinas e sub-campos em SSH e STEM são convidados a propor painéis sobre o tema da conferência.

ASAA2022: Datas chave

  • 1 Maio 2021: Chamada para propostas de painéis workshop pré-conferência
  • 11 Maio 2021: Início da HUMA-ASAA “Sobre Ser Humano em África: Debates Epistemológicos”
  • 30 Jun 2021: Submissão de propostas de painéis e workshops pré- conferência
  • 11 Jul 2021: Notificação de aceitação de propostas
  • 14 Jul 2021: Chamada por resumos
  • 30 Set 2021: Submissão dos resumos
  • 01 Nov 2021: ASAA2022 registo antecipado
  • 14 Nov 2021: Notificação da aceitação dos resumos
  • 31 Jan 2022: Encerramento do registo antecipado
  • 01 Fev 2022: Início do registo
  • 03–08 Abr 2022: Excursões pré-conferência
  • 09–10 Abr 2022: Chegadas pré-conferência
  • 11–12 Abr 2022: ASAA2022 workshops e reuniões pré-conferência
  • 13 Abr 2022: ASAA2022 abertura da conferência e plenárias
  • 14 Abr 2022: ASAA2022 debates da conferência
  • 15–16 Abr 2022: ASAA2022 sessões paralelas da conferência
  • 17–22 Abr 2022: Excursões pós-conferência
  • 30 Maio 2022: Apresentação de notas de conceitos para os volumes editados da série “Encounters” HUMA-ASAA
  • 30 Jun 2022: Submissão de versões preliminares de artigos para a série “Encounters”
  • 01 Set 2022: Notificação da aceitação das versões preliminares de artigos para a série “Encounters”
  • 30 Set 2022: Submissão das versões finais dos artigos para a série “Encounters”
  • 01–30 Mar 2023: Lançamento da série HUMA-ASAA “Encounters”

AASAA2022: Chamada para submissão de resumos

A ASAA encoraja aos apresentadores de trabalhos para reflectirem sobre o  tema da conferência  e abordarem as questões sublinhadas na descrição do tema. Agradecemos que leia a informação e a seguir clique no botão abaixo para submeter a sua proposta no nosso portal online para o efeito. 

Dado o elevado número de resumos submetidos para apresentações nas conferências da ASAA, o Comité da Conferência ASAA2022 está empenhado em garantir que o processo de apreciação seja atempado e justo mediante as normas internacionais de avaliação duplo-cega por pares. Dependemos do apoio de académicos altamente qualificados de todo o mundo para assistir neste esforço.

As decisões da Comissão Científica serão comunicadas a 14 de Novembro de 2021. As inscrições para a ASAA abrem a 1 de Novembro de 2021.

Regras para a submissão de propostas de resumo

  1. As propostas de resumos não devem exceder 250 palavras. Ser-lhe-á pedido que forneça o seguinte:
    • Título do trabalho (15 palavras no máximo)
    • Sumário da Pergunta e Argumento (50 palavras no máximo)
    • Resumo (250 palavras no máximo)
    • Biografia (50 palavras no máximo).
  2. As propostas de resumos devem ser feitas utilizando o sistema de submissão online da conferência e não por correio electrónico.
  3. Os autores terão a opção de fazer uma submissão aberta ou submeter o seu resumo a um dos painéis aceites.
  4. O processo de revisão duplo-cega por pares na ASAA2022 é conduzido pelo Secretariado da Conferência sob a orientação do Presidente do Comité Científico/Presidente da Conferência.
  5. O Presidente do Comité Científico/Presidente da Conferência serve de Chefe do Comité Científico e tomará a decisão final sobre os resumos.
  6. Os membros do Comité Científico são académicos estabelecidos doutorados ou outros graus terminais nas suas áreas e que têm experiência prévia de revisão por pares.
  7. Cada resumo será submetido a revisão duplo-cega pelos membros do Comité Científico internacional no prazo de 2 semanas após o prazo da submissão de resumos.
  8. Os resultados da revisão do resumo serão enviados ao autor principal no prazo de duas semanas após o prazo para submissão do resumo (sujeito a condições em caso de emergência).
  9. Os avisos de aceitação ou rejeição do trabalho serão enviados ao autor principal, com comentários dos revisores, quando aplicável.
  10. Se forem necessárias revisões de acordo com os comentários do revisor, o resumo revisto deve ser reenviado no prazo de uma semana.
  11. Se o seu resumo for aceite, será convidado a inscrever-se na Conferência e a pagar a sua inscrição na ASAA para quem deseje ser membro da associação.
  12. Cada um dos apresentadores de trabalhos só pode fazer duas apresentações (note-se que a participação em mesa redonda conta como sendo um expositor, não um apresentador). É permitido ser co-autor em múltiplos trabalhos se não for apresentá-los.
  13. Todos os convocadores e apresentadores de trabalhos devem ser ou registar-se como membro da ASAA e ter pago a sua subscrição antes da conferência. Não precisam cumprir esta regra ao submeterem a proposta de resumo, mas devem tratar depois de a sua proposta ser aceite.
  14. Todos os participantes na conferência, incluindo os expositores e presidentes da mesa, terão de se registar e pagar a taxa de inscrição para participarem.
  15. Os trabalhos que cumpram as normas definidas pelo Comité Editorial dos Anais da Conferência serão considerados para publicação na série de livros da HUMA-ASAA, “Encounters”. Os autores seleccionados serão contactados por um dos nossos editores para discutir a possibilidade de publicar o seu trabalho num dos volumes editados da série.

Critérios de aceitação

  1. A ASAA2022 pode acolher um máximo de 500 delegados, o que sugere aproximadamente 100 painéis.
  2. O Comité Científico decidirá quais as propostas a aceitar; a taxa provável de aceitação será de ~50%. A decisão será baseada em:
    • conformidade com as regras acima enunciadas
    • clareza, coesão, fiabilidade e rigor académico (qualidade)
    • consideração específica: relevância para o tema da conferência, metas / objectivos / questões / argumentos claramente enunciados, estrutura do documento, clareza da linguagem, adequação da investigação / estudo / metodologia, discussão e conclusão.
  3. O Comité Científico prestará atenção a diferentes tradições e tópicos disciplinares e tópicos em SSH e STEM.

Submissão de propostas de resumos

Todas as propostas devem ser feitas através do formulário online. As propostas devem consistir de um título de trabalho de 15 palavras no máx., uma breve descrição da pergunta e do argumento de 80 palavras no máx., um resumo de 250 palavras, e uma breve biografia de 50 palavras no máx. A proposta de resumo não pode incluir quaisquer citações ou referências.

Ao submeter a proposta, o autor da proposta (e não os co-autores) receberá um e-mail automático a confirmar a recepção. Se ele/ela/eles não receberem este e-mail, verifiquem primeiro o ambiente de login (clique em login à esquerda) para ver se a proposta lá consta. Se estiver, significa simplesmente que o e-mail de confirmação acabou no spam ou não foi entregue com sucesso; e se não constar, significa que precisa de submeter novamente a proposta.

As propostas serão marcadas como “Pendente” ou “Submetida” até as decisões do Comité Científico serem publicitadas a 14 de Setembro de 2021. Nessa data, as propostas serão marcadas como “Aceite” ou “Rejeitada”, e os administradores da Conferência informá-lo-ão da decisão por correio electrónico.

Duração das sessões do painel

Tendo em conta a competição pelos recursos (as propostas de painéis superam as vagas de tempo disponíveis) e o desejo declarado por muitos membros de poderem realizar mais painéis do que apenas aqueles em que sejam activos (convocares/apresentadores), a ASAA2022 terá sessões de painel de 105 minutos. Os painéis serão limitados a um máximo de DUAS sessões consecutivas de 105 minutos, cada uma das quais pode acomodar um máximo de cinco trabalhos. O que permite que a conferência aceite mais painéis mais breves, dando mais escolha tanto aos proponentes como aos delegados das comunicações. Consequentemente, os convocadores do painel podem aceitar um máximo de dez trabalhos no seu painel. No entanto, a aceitação de quatro artigos por sessão será aceitável.

Responsabilidades do convocador

É responsabilidade dos convocadores certificar que todos os participantes no painel sejam informados e que o painel continue a cumprir os requisitos da ASAA2020. Para esse efeito, os convocadores devem comunicar as suas decisões sobre as propostas como detalhado abaixo, e – mais adiante no processo – enviar um e-mail aos membros do painel para: informá-los da ordem de intervenção (embora esta seja exibida na página pública do painel), informá-los sobre quanto tempo lhes foi atribuído, relembrá-los para o registo (o estado do registo pode ser visto no ambiente de login), informá-los de quaisquer alterações posteriores ou cadeiras/expositores adicionais, e dar qualquer outra informação relacionada com o painel. Se os membros do painel desistirem, os convocadores devem informar aos organizadores.

Cronograma das apresentações

A forma como os convocadores atribuem o tempo das suas sessões fica maioritariamente a seu critério. A norma da ASAA é de alocar cada apresentador um máximo de 25 minutos (para apresentação e perguntas/discussão). A chave é respeitar o facto de muitos apresentadores terem viajado de longe para poderem contribuir e precisarem claramente de tempo para exporem os seus argumentos. As sessões específicas do painel serão indicadas no programa da conferência, e os trabalhos serão ordenados dentro destas sessões. Embora os convocadores possam desejar amalgamar o tempo de discussão, sempre que possível, devem aderir à sessão publicada.

Pré-circulação dos artigos

A ASAA não tem qualquer regra a respeito; no entanto, muitos convocadores optam por fazer a pré-circulação dos trabalhos concluídos. Para facilitar isto e diminuir o tráfego de correio electrónico, os autores podem carregar os seus artigos como PDFs na plataforma de gestão da conferência. Fica a critério do autor instruir os apresentadores para fazerem uso desta oferta.

Publicação dos trabalhos

Os trabalhos que cumpram as normas definidas pelo Comité Editorial da Conferência serão considerados para publicação na série de livros da HUMA-ASAA, “Encounters”. Os autores seleccionados serão contactados por um dos nossos editores para discutir a possibilidade de publicar o seu trabalho num dos volumes editados da série.

Contacto

Para qualquer consulta sobre quanto acima, envie um e-mail para: as-aa2022.org@uct.ac.za